Homem aciona a polícia após se apaixonar por perfil falso na internet

Às vezes, o risco em uma rede social é bem maior do que apenas pagar mico.
Conheça a história do André, que se apaixonou por uma mulher na internet e acabou caindo na maior cilada.

O Fantástico conta a história de André, um homem que se apaixonou por uma mulher na internet e acabou caindo na maior cilada.

Tudo começou em uma rede social. E uma tal de Larissa… “Apareceu para mim como sugestão de amizade, eu vi que era uma moça muito bonita e adicionei e fiz o convite”, conta André.

O convite foi aceito. “Mandei um ‘oi’, e a gente começou a seguir uma conversa normalmente”, diz André.

André e Larissa se falavam pela internet e por telefone. “E aí fomos conversando, conversando e fui gostando dele realmente”, lembra ela, que não quis se identificar.

“Falava palavras carinhosas, entre outras coisas, a todo momento tratando bem, essas coisas começaram a tocar no íntimo”, diz André.

Mas tinha um problema. O André, que mora em Belém do Pará, não conseguia se encontrar com Larissa, que se dizia dentista e moradora de São Paulo. “Só que ele acabou falando que ia atrás, onde fosse ele ia atrás”, diz ela.

O que havia de errado com Larissa? Por que ela não aceitava se encontrar com André? É que Larissa, na verdade, não existia. Foi uma estudante de 23 anos, que não quer ser identificada, quem criou um perfil falso com o nome fictício de ‘Larissa Mota’. Ela usou fotos de uma jovem encontradas na internet.

Mas a armadilha não era para André. Era para outra pessoa. “Eu queria investigar o meu ex-namorado. E eu resolvi criar para saber se ele realmente estava me traindo”, revela.

Mas o tal namorado não caiu na cilada; quem se interessou por ela foi mesmo o André. “E ela se apaixonou e com aquilo não quis revelar sua real identidade, porque ela não queria revelar quem era fisicamente, diferente do perfil da rede social. Então ela sempre evitava esses encontros com ele”, conta a delegada da divisão de crimes tecnológicos Vanessa Lee.

Apaixonada, a estudante deu uma cartada. Ainda se apresentando como Larissa, ela perguntou ao André: ‘você não quer se encontrar com uma amiga minha? Ela pode falar de mim pra você’.

“Eu sempre falava de mim, quer dizer, a Larissa falava de mim. ‘Ah tenho uma amiga, queria que tu conhecesse ela pra vocês irem se conhecendo para saber mais de mim”, conta ela.

O André topou o encontro. E quem apareceu? A estudante que inventou a história, claro. “A gente continuou depois conversando mesmo, ela como amiga da Larissa. Ela que manipulava o fake da Larissa”, conta André.

O André estava a fim da Larissa, a moça da foto. E a estudante estava a fim do André. Não podia dar certo, né?

Foi aí que a estudante resolveu matar a Larissa, aquela que nunca existiu. Ela publicou em uma rede social que a Larissa tinha sido morta em um assalto em São Paulo. “Publiquei num outro perfil que eu criei, justamente pra parecer que ela tinha amigas e tal, aí eu publiquei da suposta morte, que ela tinha saído de um restaurante em São Paulo e acabou sendo assassinada”, conta.

“Ela criou isso simplesmente com a finalidade de dar um ponto final, porque ela não tinha mais controle”, diz a delegada.

André chegou a publicar um texto na internet lamentando a morte da Larissa. E uma parte da imprensa de Belém publicou a notícia falsa. O segredo começou a ser descoberto em uma situação no mínimo bizarra.

A estudante, suspeita de inventar essa história toda, chamou o André para ir até uma igreja com ela, para rezarem juntos pela alma de alguém que nunca existiu.

Depois da missa, um acaso chamou a atenção do André. “Ela soltou uma gargalhada. Daí eu virei para ela e falei: ‘você sorri muito parecido com a Larissa’”, diz André.

“Ele percebeu uma semelhança entre o riso da moça e o da namorada virtual”, conta a delegada.

“Aí eu percebi que teria caído num golpe, realmente”, aponta André.

“Então, a partir daquilo ali, acendeu um alerta nele, o que fez ele comparecer na delegacia”, diz a delegada.

A polícia localizou a estudante, que confirmou a farsa. “Ela pode incorrer no crime de falsa identidade previsto no artigo 307 do Código Penal”, explica a delegada.

O Fantástico localizou a jovem que teve as fotos usadas no perfil falso da Larissa, criado pela estudante de Belém. Ela tem 15 anos de idade e mora com os pais na cidade de Bombinhas, no litoral de Santa Catarina. O Fantástico conversou por telefone com a advogada da família. Ela disse que nem os pais e nem a própria adolescente sabiam do caso, e que estão apavorados com a situação. A advogada falou também que já está tomando as providências para tentar retirar as fotos de circulação na internet.

Fantástico: Como você se sente tendo provocado esse transtorno todo?
“Larissa”: Eu me sinto muito mal, até porque meus pais não sabiam, e são as pessoas que eu mais prezo no mundo.
Pai: O que eu vejo que os pais devem fazer? Procurar ver o que seu filho faz no isolamento. Ela acordava tarde, tomava o café dela, ficava por ali, e ficava no celular, muito só. Eu acho que o computador, para ela, é um amigo dela.

Dono de lanchonetes, o André diz, com bom humor, que quer tirar proveito real dessa confusão virtual.

André: Eu vou, em homenagem, lançar um sanduiche com o nome de x-fake.
Fantástico: Esse hambúrguer é de carne mesmo?
André: De carne.
Fantástico: Não é fake?
André: Esse não é fake.

G1/ Fantástico

Anúncios

AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s